Série “O Código da Inteligência” – Post 01 O Conformismo

Atualmente estou lendo o livro do Augusto Cury, “O Código da Inteligência”. Estou gostando muito da leitura, é um pequeno livro de apenas 222 páginas, mas que traz muito conteúdo. Com a finalidade de estudar melhor o livro, ao invés de fazer apenas uma leitura superficial, resolvi fazer uma série de posts relacionados ao livro. Desse modo eu irei ler, refletir e procurar falar sobre o conteúdo do livro utilizando minhas palavras.

Antes de falar especificamente sobre os principais códigos da inteligência, Cury fala sobre algumas armadilhas da nossa mente que bloqueiam nossa capacidade de decifrar os códigos da inteligência. Nenhum ser humano está livre dessas armadilhas, é necessário humildade e lucidez para assumi-las e supera-las. A primeira armadilha é o conformismo.

O conformista é aquele que se acomoda, não luta por ideais, não tem objetivos definidos, acredita que tudo é obra do destino, o famoso, “deixe a vida me levar”. Porém, ninguém é 100% conformista ou 100% ativista, porque ninguém bloqueia todas as funções da inteligência ou as liberta completamente. Alguns decifram com maestria os códigos da inteligência em determinadas áreas, mas são totalmente conformistas em outras.

O que acontece é que os conformistas por medo de assumir riscos ou medo da crítica, optam por ficarem inertes na área em que se julgam incapazes. Basta uma experiência ruim ou algumas vezes apenas acreditar na possibilidade de acontecer algo ruim para que os conformistas desistam da ação, amordaçam o Eu e vivam de forma limitada. “Os conformistas transformam fracassos em medo, os determinados transformam derrotas em garra.”

Alguns vivem com a crença de que serão pra sempre, depressivos, fóbicos ou obsessivos. Não compreendem que são seres humanos complexos e que podem lutar para desenvolver a capacidade de proteção da emoção, gerenciar os pensamentos e filtrar seus estímulos estressantes. Por falta de conhecimento não são capazes de decifrar os códigos da inteligência e vencer suas limitações.

Os conformistas são os reis das desculpas e parecem desapegados de preconceitos. Vivem com sua visão limitada de mundo e desdenham do que no fundo desejam. Alguns são ótimos em resolver problemas dos outros, mas péssimos para resolver os próprios problemas, outros são excelente em encorajar os amigos a sair da zona de conforto e encarar um novo desafio, mas não ousam em dar um passo pra fora de sua própria zona de conforto.

O fato é, todos somos conformistas em determinada área, não há escapatória. É necessário que façamos reflexão e analise para que possamos identificar qual área estamos deixando a desejar. Em qual área não estamos nos dedicando da forma como gostaríamos e agir.

Os exercícios propostos no livro em cada código da inteligência ajudam a fazer essa análise e partir para ação.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s