Porque eu devo buscar me desenvolver a cada dia?

Estou com um projeto pessoal novo, que é o de acordar todos os dias as cinco horas da manhã para realizar atividades que normalmente são negligenciadas durante o dia ou que são realizadas esporadicamente.

Essas atividades são, atividade física, meditação, estudo de idiomas, leitura e escrita. Dessas cinco atividades apenas a atividade física e a leitura que eu sempre realizei pelo menos todas as semanas, porém, nunca com a consistência necessária para alcançar resultados duradouros a longo prazo.

A questão é, é muito difícil acordar de madrugada todos os dias para realizar essas atividades, será que vale a pena ou estou apenas perdendo meu tempo, gastando energia em algo que não vai me gerar os benefícios esperados? Vamos refletir um pouco sobre o assunto.

A minha rotina sem esse projeto seria da seguinte forma. Acordar todos os dias lutando com o botão soneca do despertador, sair da cama por volta das sete horas, com bastante preguiça. Ir trabalhar por volta das sete e meia, rotina de 8 a 10 horas de trabalho, com intervalo de 1:30 para o almoço. A tarde ir pra casa, comer algo e sair pra dar uma corrida, às vezes, ou ficar de boa assistindo tv ou vendo algo na internet. Fazer alguns serviços domésticos, ajudar a preparar a janta e assistir mais um pouco até a hora de ir dormir.

Quando sobra um tempinho ou da aquela vontade, leio um pouco ou tento estudar um pouco para melhorar meu inglês. Tudo bem casual, sem muito compromisso. Além disso, é claro, tem os momentos de lazer e diversão, sair para dar uma passeada, ir até a cidade vizinha para fazer algo diferente ou algum churrasco na casa de algum amigo.

Acredito que o resultado ao longo de alguns anos nessa rotina poderia ser, melhorar dentro da empresa, por estar fazendo meu trabalho direitinho, dando resultados e tal. Mas esse melhorar teria um limite bem baixo, não seria muito mais do que estou atualmente. Receber uma proposta de alguma outra empresa do ramo, para trocar seis por meia duzia. Ou ser demitido por estar negligenciando o trabalho e ai sim sair da minha zona de conforto em busca de uma recolocação no mercado. Essa demissão poderia ser péssima ou ótima, não há como saber o resultado.

Seguindo a nova rotina de desenvolvimento pessoal os resultados que posso imaginar seriam, melhorar dentro da empresa, receber uma proposta de trabalho de outra empresa ou ser demitido. Mas o que muda?

O que muda é a pessoa que eu estou me tornando, hoje eu sou o resultado dos 29 anos que vivi até o momento. O que eu serei daqui pra frente vai depender do que eu fizer  ao longo dos próximos anos.

Fazendo exercício e me alimentando de forma consciente, as chances de ter uma boa saúde nos próximos anos são maiores. Meditação todos os dias, aumenta o autoconhecimento e reduz o estresse. Estudar inglês por 20 minutos todos os dias, em alguns anos eu poderei consumir conteúdos que não foram traduzidos para o português, sem depender de ninguém, além de poder visitar outros países e conhecer outras culturas.

Lendo todos os dias, ao longo de alguns anos eu terei lido centenas de livros, com isso adquirido muito conhecimento em diversas áreas de meu interesse, aumento expressivo do vocabulário, além de muitos outros benefícios que a leitura gera, como, redução do estresse, melhora da atividade cerebral e cultura.

Praticando a escrita todos os dias em alguns anos serão milhares de páginas escritas. Com isso eu ganho maior capacidade de expor minhas ideias, terei colocado muitas coisas que antes ficavam apenas na minha mente no “papel” e ainda compartilhado com o mundo através do blog ou até mesmo escrevendo livros. Fora outros benefícios que a escrita proporciona no dia a dia.

Resumindo, é algo fácil de fazer? Com certeza não. Para mim é um desafio enorme, a batalha interna é muito grande todos os dias. Acredito que o tempo possa se torna algo mais natural, mas no inicio é bem doloroso e difícil.

Vale a pena tanto esforço e dedicação? Com certeza! Será uma transformação duradoura que irei conquistar aos poucos, ao longo dos dias, meses e anos. Resultados virão no longo prazo, com toda certeza do universo. Isso é se tornar uma pessoa melhor a cada dia, de forma consciente e ativa.

 

 

 

O Milagre da Manhã

omilagredamanha

Nesses últimos dias eu andei muito ocupado, novas responsabilidades no trabalho, dedicação maior para alcançar as metas propostas e com isso acabei deixando o meu compromisso com minha evolução pessoal de lado, além é claro de dedicar menos tempo a minha família e meu lar.

Ter foco é bom, mas não podemos perder o equilíbrio. Dedicar toda a energia em uma área da vida e deixar o restante em segundo plano, pode ser algo tão irresponsável como não ter foco em nada.

Hoje resolvi mudar essa situação e buscar o equilíbrio desejado. Com o auxílio do livro “O milagre da manhã” de Hal Elrod, voltei a praticar meus mini-hábitos com uma abordagem diferente. Realizar todos na parte da manhã, antes de ir trabalhar.

Acordei as cinco horas da manhã, sem botão soneca no despertador, escovei os dentes, tomei um copo de água e inicie minha rotina de desenvolvimento pessoal. Quinze minutos de exercícios, quinze minutos para o banho, dez minutos para meditação, vinte minutos para estudar inglês, trinta minutos de leitura e para finalizar estou completando meus trinta minutos dedicados à escrita. Não prometo que todos os dias publicarei um post novo, mas todos os dias estarei dedicado em escrever, com isso o blog será atualizado com maior frequência.

Tendo realizado minha rotina de desenvolvimento pessoal até as 7 horas da manhã, durante o restante da manhã e da tarde posso me dedicar 100% ao meu trabalho e depois do expediente posso realizar as atividades domésticas que cabem a mim e dar atenção à minha família. Três vezes na semana tem o treino de corrida também, mas da tempo de fazer tudo.

Que dia maravilhoso hein! Parece que as minhas 24 horas se multiplicaram. De agora em diante essa será a minha rotina diária, em busca de me tornar uma pessoa melhor a cada dia e ter uma vida equilibrada. Mais pra frente irei compartilhar mais informações sobre o livro citado no post. Abraço!

Medo da Crítica

Algo que sempre atrapalhou meu desenvolvimento foi querer sempre agradar aos outros, me preocupar demais com o que as pessoas dizem e pensam ao meu respeito e não querer ser julgado pelas pessoas, isso é o medo da crítica.

Na prática isso se resume a não expor ideias e opiniões em uma roda de conversa, a não ser com pessoas muito intimas. Não querer chamar a atenção em ambientes com muitas pessoas, não questionar e não debater ideias de outras pessoas, aceitar fazer coisas que eu não gosto para agradar aos outros, não fazer nada diferente do que o que todo mundo está fazendo, não colocar projetos e ideias em prática, ou pior, não ter ideias, viver como um bovino resignado.

O que fazer para vencer esse medo? Beber! Quando a bebida entra em cena eu me transformo, viro outra pessoa. Não me importo com a opinião de ninguém, faço somente o que eu quero, converso, debato e discuto com as pessoas. Me torno um comunicador, dançarino e artista. Com a bebida meus problemas estão resolvidos.

Não, não estão resolvidos. Todos sabemos os diversos malefícios que a bebida traz consigo. A chance de fazer algo de que possa me arrepender depois é muito grande, quase certa, além é claro dos danos causados ao corpo e de que é um vício que acaba com muitas vidas.

Um livro que li recentemente e que traz algumas ideias de como lidar com essas questões da vida é “A sutil arte de ligar o f*da-se” de Mark Manson. Segue abaixo uma pequena citação do livro:

“Ligar o foda-se não significa ser invulnerável, mas se sentir confortável com a vulnerabilidade”

Em outras palavras, as pessoas vão me julgar, criticar, muitas vezes até me ofender. Mas também irão elogiar, apoiar e incentivar. Isso faz parte do ser humano e de viver em sociedade, é preciso aprender a lidar com as críticas. Criticas boas e elogios são um combustível para seguir motivado e continuar no caminho. Criticas ruins e ofensas também servem como combustível para seguir motivado e no caminho.

Só é criticado quem faz algo, que não faz nada, não recebe críticas, mas tem a mesma utilidade do que uma pedra. Eu não quer ser uma pedra! E você? Deixe sua resposta nos comentários. Gostou? Curta, compartilhe com seus amigos e deixe um comentário. Abraços!Criticas - Aristoteles

É possível trabalhar com o que ama?

Acabei de ler um artigo do Leandro Ávila em seu novo site, intrasenso.com, chamado “Trabalhar pelo dinheiro ou pelo amor de fazer o que se gosta?”. Clique aqui caso queira ler o artigo na íntegra. Vou fazer algumas reflexões sobre o tema.

O artigo começa com alguns questionamentos sobre o que gera motivação no seu trabalho, o dinheiro ou o prazer de fazer bem feito aquilo que você ama. E pergunta também sobre o que você faria se não precisa mais de dinheiro, que atividades desempenharia nesse caso.

São perguntas que me fazem refletir bastante e as respostas são muito desconfortáveis. Primeiro, eu trabalho pelo dinheiro e se deixassem de me pagar com certeza eu iria atrás de outra atividade. E o segundo ponto, que me deixa mais assustado, eu não sei o que eu faria se não precisasse de dinheiro.

Tenho alguns hobbies, curto muito pescar, sou atleta amador e tenho me dedicado bastante na corrida de rua, gosto muito de ler e agora estou descobrindo a escrita, me dedicando a escrever algumas linhas por dia.

Eu sei que há várias formas de transformar essas atividades que faço por prazer em uma atividade profissional. É algo fácil de fazer? Com certeza não. Acompanho através do youtube e das redes sociais várias pessoas que realizaram essa façanha, principalmente gerando conteúdo para a internet. A galera tem que por a cara pra bater e ralar muito.

Outra questão interessante apresentada no artigo é a de que é muito melhor ralar muito e se dedicar fazendo algo que te traz uma satisfação, do que, se obrigar a se dedicar em algo que não tem significado nenhum, apenas o contra-cheque no fim do mês.

Uma ideia apresentada pelo autor para tornar possível a transição de um trabalho de que não se gosta para trabalhar com algo que da prazer é a combinação de educação financeira e muita ralação.

A educação financeira nos proporciona a liberdade. É muito simples de entender isso. Uma pessoa que possui uma reserva financeira suficiente para pagar todas as suas despesas e manter seu padrão de vida durante três anos, por exemplo, é muito mais livre do que alguém que depende exclusivamente de seu salário para pagar as contas do próximo mês.

Uma reserva financeira não surge da noite para o dia, é necessário dedicação para aprender a utilizar o dinheiro de forma racional, conhecer o mercado financeiro e as opções para poupar e investir seu dinheiro, guardar em baixo do colchão não é uma boa ideia. Além de ter muita paciência, a constância e o tempo são grande aliadas.

Então vem a ralação que é você se dedicar muito, mas muito mesmo, na atividade que te traz satisfação ao realizar, paralelamente ao seu trabalho atual. Colocar ideias em prática, estudar bastante sobre o assunto, fazer testes e meter as caras com vontade.

Simples né? Não, não é simples, nem é fácil, mas é possível!

Essas são algumas reflexões e conselhos para mim mesmo, se algo foi útil para você, fico muito feliz em ter ajudado. Se não serviu para nada, obrigado por ter lido! rsrs Abraço!

Como vão meus Mini-hábitos

minihabitos

Eu sei que ainda é muito pouco tempo para se falar em hábitos. Eu li o livro dos mini-hábitos e resolvi implantá-los em minha vida no dia 27 de dezembro, só se passaram 14 dias desde então. Se você não viu meu post sobre os mini-hábitos clique aqui para conferir.

Eu adotei 4 mini-hábitos. Ler duas páginas, Escreve 3 linhas, Fazer 1 flexão e passar o fio dental em 1 dente, todos os dias. Eu já tinha instalado no meu celular o aplicativo chamado “todoist”, nele você coloca as tarefas que precisa fazer em determinado dia e quando realiza a atividade marca lá que já foi realizada, pode incluir alertas e tem a opção de aparecer as mesmas tarefas todos os dias, é o que estou utilizando no momento, sem alertas. Eu nunca tinha utilizado esse aplicativo por mais de 2 dias.

Do dia 27 pra cá eu tenho usado o aplicativo TODOS OS DIAS. Sempre que eu realizo um mini-hábito, vou lá e marco que esta concluído naquele dia. Quando estou fora de casa ou é um dia muito corrido, eu tiro um tempinho, realizo os quatro de uma vez e vou lá no aplicativo, pronto tudo ok naquele dia.

Mas o fato mais interessante é que na maioria dos dias não é isso que acontece. Eu pego meu kindle para ler as duas páginas do dia, e de repente já foram uma hora de leitura. A atividade física já fazia parte da minha rotina, mas antes um dia ou outro eu ficava com preguiça e não fazia nada. Agora eu paro para fazer minha única flexão, mas antes vou dar uma corrida ou sempre faço outros exercícios junto com as flexões (no plural).

O fio dental na maioria dos dias eu passo eu todos os meus dentes, no dia que não to afim mesmo, passo em um dente e pronto, meta alcançada. E na escrita, hoje mesmo eu não estava a fim de escrever, demorei um pouco para pensar sobre o que escreveria, resolvi começar e olha onde estou, já foram várias linhas depois das três primeiras.

O fato é, estou muito satisfeito com esse método, porque se eu saio da rotina ou é um dia muito agitado, em dez minutos eu cumpro minhas metas e pronto, fico satisfeito, dever cumprido. Agora na maioria dos dias eu faço muito além de minhas metas e isso acontece porque o mais difícil é começar. Depois que eu sento e começo a escrever para chegar as 3 linhas, que é o objetivo, é muito mais fácil eu continuar a escrever e chegar a 100 linhas, do que se eu resolvesse sentar para escrever 100 linhas, só de pensar nisso já da uma preguiça danada. A resistência interior é muito grande, devemos combate-la todos os dias e os mini-hábitos são uma arma poderosa contra a resistência.